Nota Oficial da bancada feminina da Alesc

A Bancada Feminina da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, desde a sua composição, a partir da histórica eleição de cinco deputadas estaduais para esta legislatura, trabalha pela garantia dos direitos a todas as mulheres catarinenses.

Tal atuação pressupõe um entendimento includente, coletivo e de respeito às diversidades com as quais as mulheres constituem a sociedade catarinense em seus mais variados setores de atuação. A pluralidade de trajetórias das quinze mulheres homenageadas na Sessão Solene Especial, ocorrida na noite de ontem (21/03), tornaram pública a escolha assertiva desses pilares.

Alinhada à visão das bancadas femininas de outras casas legislativas deste País, entre elas a da Câmaras dos Deputados e a do Senado Federal, esta Bancada Feminina, mesmo em minoria entre os parlamentares, têm se organizado em torno das pautas femininas para logo anunciar metas capazes de fazer frente aos problemas enfrentados, desde a violência, com 83% de aumento dos casos de feminicídios em 2019, passando pelas dificuldades de tratamento na rede pública de saúde, com a lista de espera para exames de mamografia, até a discriminação salarial. 

Por fim, cabe ressaltar que as deputadas que compõem esta Bancada não medirão esforços para colocar as suas trajetórias pessoais, marcadas em sua maioria pela ampla experiência nos Poderes Legislativo e Executivo, para uma atuação marcada pelo respeito, pois só a prevalência deste valor é capaz de garantir a união de esforços necessária às conquistas em prol de todas as mulheres do nosso Estado.

Esta Bancada declara ainda que assume o compromisso de estender este posicionamento às Comissões mais importantes desta Casa, onde as deputadas ocupam a presidência e a vice-presidência, a saber: a Comissão de Educação, Cultura e Desporto, presidida pela segunda legislatura consecutiva por Luciane Carminatti (PT); a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público, liderada por Paulinha (PDT); a Comissão de Direitos Humanos, presidida por Ada de Lucca (MDB) e a Escola do Legislativo, comandada por Marlene Fengler (PSD).

Florianópolis, 21/03/2019

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui