UDESC

Situação ainda mais grave que a da rede federal, a Udesc não está sujeita a “contingenciamento”, é corte mesmo, ou seja, diminuição definitiva dos repasses financeiros.

O valor global repassado hoje pelo governo à Udesc permite que o percentual entre folha de pagamento e custeio fique na razão 75/25 por cento. Com o corte, como não é possível mexer na folha, essa razão subirá para 84/16 porcento. Isso quer dizer que, em relação às verbas disponíveis para custeio da universidade, o corte chegará a 40%, mais do que o anunciado pelo Governo Federal.

Até agora, o governador Carlos Moisés da Silva não recebeu a reitoria da Udesc, nem parlamentares ou representantes da comunidade universitária.  O silêncio do comandante do Executivo preocupa. Por isso, entre os encaminhamentos da audiência pública destaco o compromisso de conseguir uma reunião com o governador do Estado para tratar pessoalmente do tema.

Como presidente da Comissão de Educação da Alesc, chamo a sociedade catarinense para juntar-se à mobilização em andamento, que na última semana reuniu mais de seiscentas pessoas em uma audiência pública contra os cortes.

Reafirmo posicionamento que tenho assumido desde 2012: sou favorável à redução do duodécimo para os Poderes e órgãos adjacentes, mas não admito que se mexa no orçamento da única universidade estadual de Santa Catarina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui